Seguidores

2015/07/27

Ao primeiro lançamento... Parte II

Pois é ficou por contar como acabamos o dia, depois do Paulo ter arrancado a todo gás.

Pode-se dizer que não correu mal, podia ser bem pior com 3 gradeiros a admirar um leiteiro mas não foi assim, só o Bruno gradou e quer o Carlos quer eu acabamos por safar a grade.

O Paulo ainda admirava o peixe e já eu e o Carlos fazíamos uns lançamentos a ver o que a coisa dava.

O peixe tinha que andar por ali, as condições eram óptimas e tínhamos que aproveitar aquele inicio do dia, ainda com muito pouca luz estava mesmo no ponto.



De repente sinto um toque PEIIIXEEE, ai estava ele, ouço o Paulo a trás a gritar PEIXE, PEIXE... o bicho dá meia dúzia de cabeçadas e solta-se ... bolas era um bom peixe e foi à vidinha dele.

Entretanto diz o Paulo.." foi nada está aqui" naquele stress nem me apercebi que o Carlos tinha ferrado um peixe ao mesmo tempo que eu e já o colocava a seco, não era tão grande como o do Paulo mas estava bem acima dos 42cm.

O Carlos este ano tem dado coça na malta, tomou gosto e tá com uma cunfia que não falha um lol.

Lá se continuou o manhã, já dois peixinhos de molho e eu ainda a seco, aquele robalo ficou-me entalado, quem é que gosta de perder um peixe, pois...

Com o abrir do dia deu para perceber que algumas prisões que estávamos a ter não era em algas mas num troll que estava ali a uns 40 metros de nós. É uma vergonha o que se continua a fazer sem que ninguém queira saber, os barcos colocam aparelhos onde querem, sem qualquer sinalização e nada lhes acontece.

Certo é que enquanto não havia luz ficaram no troll meia duzia de vinis, a final temos uma licença para pescar mas também temos que pedirmos licença a quem pesca, é uma festa!!!

Para nossa satisfação os senhores do troll lá vieram levantar os aparelhos, nem um peixe saiu em mais de 300m de troll... não desejo o mal de ninguém mas fico contente quando vejo alguém a prevaricar e nada conseguir, naquela manhã Neptuno escreveu direito por linhas tortas!

A manhã avançou um pouco mais e quer eu quer o Bruno estávamos a seco, para além do peixe que fugiu nem mais um toque tive.

Mudo de do vinil para amostra e meto uma Duo TMS175, faço o primeiro lançamento mas não dava, o mar estava cheio de algas em suspensão e a amostra poucos metros conseguia trabalhar, agarrava tudo e era uma perda de tempo.

Com aquelas condições ou se pescava com vinil ou com superficiais, como já tentara os vinis foi tempo de experimentar uma amostra de superfície e coloquei uma Realis Pencil 110 gost minnow, bora lá passear o cão...

Meia dúzia de lançamentos e entre duas paragens tenho um ataque brutal à superfície, o peixe tinha força, diz o Paulo, é um bom peixe, cana vergada, peixe a lutar mas ao fim de alguns segundos digo naaaa isto não é um robalo, é grande mas não é um robalo, enquanto o Paulo e o Carlos assistiam.

Pouco tempo depois lá se revelou a captura, uma valente pica que nos fez pensar que estávamos perante um peixe bem maior, estava resolvido o mistério.

Bem gradar já não gradava, já só faltava o Bruno.

A manhã foi avançando, o Carlos ainda teve mais um ataque mas o peixe foi à vida dele, enquanto o Bruno que estava cá de férias levou definitivamente com a grade.

Depois daquela meia hora inicial ainda deu para pensar que iria ser uma manhã a sério mas não foi, valeu a pena e já não foi mal, fosse sempre assim, eles andam ai... Divirtam-se!!!




3 comentários:

  1. Boas Armando,
    Mais uma manhã animada. parabéns a todos pelas capturas mas essencialmente pelo convívio. Continuem.
    Abraço a todos.
    Carlos Veiga

    ResponderEliminar
  2. Boas Armando,
    Mais uma manhã animada. parabéns a todos pelas capturas mas essencialmente pelo convívio. Continuem.
    Abraço a todos.
    Carlos Veiga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Carlos,

      Muito obrigado,

      Abraço!

      Eliminar