Seguidores

2013/06/26

Zagaias


Algumas semanas atrás fui contactado pela revista Mundo da Pesca para a possibilidade de ceder uma foto minha para um artigo sobre Zagaias onde estava com um peixe capturado com uma zagaia.

A minha primeira impressão foi que o artigo seria escrito pela redacção da referida revista, com o rigor que lhe é conhecido e aceitei ceder a minha imagem para esse artigo.

Venho a constatar nos últimos dias que o referido artigo não é da autoria da redacção da referida revista e pior é que o artigo em nada esclarece o que realmente são as zagaias, contendo inúmeros erros e imprecisões técnicas que em nada ajudarão quem quiser-se iniciar nessa arte que é pescar com zagaias.

Por isso quero publicamente demarcar-me de tal artigo, nada tive a ver com a sua elaboração e lamento profundamente ter cedido a minha imagem, por esse motivo sinto-me obrigado a demarcar do artigo publicado no qual gostava de referir algumas imprecisões...



No artigo ficamos a saber que "... as zagaias mais utilizadas são as de 40g com um atrelado de 14cm, pois o atrelado mais pequeno não interessa porque o conjunto deve ser harmonioso..." o primeiro disparate, as zagaias mais utilizadas são as de 33g e podem ser usadas com raglous de 10, 12 ou 14 no máximo assim como com pigalins de 6 ou 8 cm.

Fala nos anzóis preferidos do autor são os XYZ cuting etc, mas não refere o anzol correcto a colocar numa zagaia, os sea kerbi da vmc, 4/0 ou 5/0, o anzol torcido característico das zagaias que permitem maior acção ao pingalim ou raglou.

Não refere a importância da utilização de um destrocedor triplo, a razão de ser triplo é ignorada e em algumas fotos nem destorcedor se vê como é o caso da foto inicial do artigo, o destorcedor talvez seja o componente de maior importância na zagaia pois é ele que vai permitir a liberdade do raglou, vai permitir endireitar o raglou e jogar com o tamanho do anzol e do raglou, muito havia para explicar mas foi completamente ignorado.

No artigo é referida a mudança de cor  "...e o facto de se mudarem em segundos estes atrelados faz com que se tenham algumas cores na bolsa." ... Mais um disparate, as zagaias devem ir montadas na nossa bolsa, mudar um raglou ou um pingalim é coisa que nunca vi fazer nem vale a pena a perda de tempo, pois não é fácil, as zagaias devem realmente estar prontas a usar, cada uma com a cor que se pretende e o atrelado que se pretende tão simples quanto isso.

Fiquei a saber também que "...como temos um só anzol as prisões são mais esporádicas..."   mais uma imprecisão, a zagaia prende mesmo com facilidade ao fundo, essa é a sua maior dificuldade, saber sentir a zagaia a trabalhar sem que afunde em demasia e se perca nas rochas, mas perder zagaias faz parte desta pesca, há quem gaste 200, 300 ou 400 zagaias num só inverno, eu pessoalmente comprei 70 e já tenho apenas meia dúzia delas, podem imaginar porquê.

Depois dá para perceber que "...a zagaia em si é bem mais pesada que o atrelado e se a recolha for demasiado lenta vamos ter a frente da zagaia virada para baixo. O truque aqui é recolher a uma velocidade mais lenta possível para que o conjunto fique na horizontal" ... Mais uma grande imprecisão, a zagaia pela tracção provocada pelo fio e pelo atrito da água só vem mais horizontal se a velocidade for grande, mas a velocidade trás a zagaia para a superficie, por isso deve ser recolhida lentamente para a zagaia vir numa posição mais vertical, num ângulo de quase 45º, mais pelo fundo ao mesmo tempo que girar sobre o seu eixo e emitir os flashes que atraem o peixe que depois se atira ao raglou.

Por fim fiquei a saber que "...quando se ferra um peixe, o peixe pode rasgar a boca com um anzol único e assim podemos perder um peixe..." meus caros se há coisa que a zagaia faz bem é ferrar o peixe, que muito raramente se solta ou desferra, sendo a ferragem sempre funda e sem grande perigo de desferragem, a não ser que seja um barrote daqueles que pela força que tem leva tudo com ele ou abre anzóis, mesmo os sea kerbi.

Em fim, muito mais havia para esclarecer mas são tantos os disparates que só lamento ter a minha imagem associada a tal artigo de tão fraca qualidade, muito provavelmente a redacção da referida revista acreditou na qualidade do texto mas na verdade o artigo em si é muito fraco para poder ter sido publicado, deveria ter havido mais rigor, e com isto aprendo a nunca mais ceder o que quer que seja sem ter uma visão prévia daquilo que irá ser publicado.



19 comentários:

  1. Boas Armando

    O artigo como sabes é da minha autoria, quando o Carlos Abreu me perguntou se tinha algo contra a introdução de uma foto tua disse que não, não sou de guardar rancores daí não me ter importado em nada que uma foto tua tivesse no meu artigo.
    As tuas opiniões são as tuas como deves de calcular, posso dizer que aprendi a pescar com Zagaias com o Zeca Santos que as usa á uns valentes anos e lendo um excelente artigo de 17 de Abril de 2009 de alguém que como sabes tem uns bons conhecimentos de pesca ao Robalo, estou a falar do Paulo Inglês, alguém que tenho em conta pelos seus profundos conhecimentos de pesca e não só, os pescadores que conheço e pescam com Zagaias usam com peso nas 40g, não só por ser isto que o Paulo Martins diz mas pelo que eu vejo e uso, a minha cana por exemplo é 40-80 e não tinha lógica andar com plumas, uso Zagaias quando o mar está mais bruto e aí gosto de pescar pesado, poderá ser um disparate para ti não o será certamente para mim e tantos outros.
    Os anzóis curvos estão descritos no artigo, até tem uma foto dos referidos anzóis com a marca VMC, qualquer pessoa com 2 palmos de testa irá meter o anzol equivalente ao tamanho da amostra.
    O destorcedor está lá mas provavelmente foi para dentro numa prisão, basta mais uma vez ver o material na foto.
    Compreendo que para ti levar 7 ou 8 Zagaias montadas não seja um disparate, para mim é, mudar uma zagaia demora tanto como 5 a 10 segundos e evita-me andar com no caso de apenas termos 10 cores diferentes quase 500g, contando claro que só iremos ter uma de cada…
    Se estás a perder tanta Zagaia algo estás a fazer mal, eu não perco tantas assim e gosto de pescar lento, quando disse que um anzol prendia menos é verdade, é mais fácil prenderes uma amostra com triplos em algas ou numa rocha que um anzol simples.
    Quando digo que a amostra deverá vir na horizontal é que deverás puxar o mais lento possível para o peso da zagaia em questão, zagaias mais pesadas afundam mais rápido, mais leves mais lento, é só recolher de maneira a que ela fique na horizontal o mais lento possível para o peso em questão.
    É ponto assente que numa cobrança de um peixe se houver folga na linha ele tem de longe mais probabilidade de fugir do que com a maior parte das outras amostras pelo simples facto da parte que está espetada na boca ser pequena e que o robalo como o achigã tem tendência a rasgar a carne á volta do anzol.
    Agora o que para mim é mais importante:
    Creio que o que vais conseguir fazer com este post é apenas criar mais drama numa comunidade de pescadores cada vez mais desunida em que prevalecem os bairrismos de fórum X vs fórum Y e o mesmo acontece nos blogues, penso que deverá ser por esta razão que os pescadores mais antigos deixaram de meter os pés na net, algo que devia ser usado para partilha e camaradagem passou a ser usado para ataques, se leres o que escreveste e é a tua opinião não passa de um ataque, enquanto eu respeito a opinião de outros pescadores e tento aprender com eles tu fizeste um ataque serrado, o artigo em causa tem 6 páginas, certamente mais haveria a dizer mas se assim fosse quantas páginas tería?

    Boas pescas a todos
    João Pinto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas João Pinto,

      Como acabas de escrever já tinhas conhecimento que a foto era minha, como até tens o meu telefone só tinhas que me ligar e questionar sobre o mesmo, como sabes o artigo é da tua responsabilidade e custa-me ouvir comentários que me ligam ao teu artigo, era bom que pescasses os peixes para os teus artigos e não envolvesses ninguém nas coisas que escreves, que são da tua completa responsabilidade.

      Mas quando aceitas que alguém apareça ligado a um artigo feito por ti, sem que essa pessoa tenha conhecimento deves estar preparado para aceitar as criticas quando a mesma pessoa se sente lesada por estar vinculada em termos de imagem a algo que para ela não está correcto, considerares isso um ataque é demonstrativo da tua consideração pela liberdade dos outros.

      Tens todo o direito de escreveres o que quiseres, em nada me oponho, deixas de ter quando permites associar outras pessoas ou que escreves, ai tens que te sujeitar às criticas.

      O erro foi meu por ter confiado e permitido ligarem uma foto minha a um artigo sem o ter visto, confiado numa redacção que afinal não é autora tal como tinha feito entender, sem nunca referir que o artigo era de outra pessoa.

      Por isso quando finalmente me vejo no meio de um artigo sem pés nem cabeça, só posso ficar chateado pois não concordei com isso, mas não se volta a repetir podes crer.

      Quanto ao que escreves dá para perceber que te informaste bem e seguistes os melhores mas se tens tanta consideração pelo Paulo Martins porque razão não lhe pediste uma opinião?

      Tenho sérias duvidas que o Paulo Martins concorde com o artigo mas este blog é aberto e se ele bem entender que comente, eu já disse tudo o que tinha a dizer, não retiro uma virgula e não concordo nem com o artigo nem com as tuas justificações.

      Já agora que tens tanta certeza que algo está mal, questiona quem realmente pesca com zagaias, quantas compra e quantas perde ao longo de um inverno, como as monta e como as trabalha, quantas leva na bolsa e quantas vezes trocou um raglou em frente ao mar, já que és tão conhecedor e estás tão bem informado procura saber porque razão toda gente goza com o artigo, eu só lamento ter lá uma foto, em nada contribui e em nada fui responsável pelo que foi publicado, mas muito boa gente pensa o contrário.

      Quanto a ter dois dedos de testa parece-me que é esse precisamente o teu problema e só agradeço que para a próxima penses melhor no que estas a criar.

      Quanto ao que eu quero com esta mensagem é apenas me demarcar daquilo que escreveste e com a liberdade que me é dada por esta vida critico aquilo que acho errado e me leva à minha posição.

      Nunca pensei criar qualquer drama na comunidade de pescadores, bem pelo contrário, nem imagino que isto tenha qualquer valor, parece-me é que continuas agarrado a preconceitos e opiniões que não abonam a teu favor e aproveito para te lembrar que nunca fui nem banido nem expulso de lado nenhum pelo que se à alguém que cria conflitos e quezílias com os outros não serei eu com toda a certeza.

      De qualquer forma o blog é livre de escrita e por isso tens todo direito à resposta, tal como acabas de fazer, desde que essa liberdade seja exercida com moderação e respeito por todos os outros.

      Lamento profundamente estar associado a tal situação, mais lamento quando dás a perceber que eras conhecedor, sem palavras...

      Eliminar
    2. Boas Sr Armando,para mim acho que tem toda a razão pois se esse Sr João Pinto tem o seu nº telm porquê de não lhe telefonar e mais ainda se ele é que fez o artigo porquê não postou uma foto dele com as zagais e peixe ...nunca apanhou e a revista recorreu a quem sabe apanhar ...Saude .

      Eliminar
  2. Só tenho uma coisa a dizer..

    Caro Armando obrigado pela dica vou passar ir ao spinning de camisa, pode ser que apanhe qq coisa :D

    As "robalas" que se cuidem :P

    Cumprimentos,
    Pedro Abreu

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Pedro,

      Quando o peixe anda lá até de camisa se tira.

      Um abraço.

      Eliminar
  3. Boas Armando!
    Por sinal eu já tinha sido abordado por um amigalhaço destas andanças para escrever o referido artigo sobre zagaias. Para além de não ser especialista em nada, nem em pesca, nem em spinning, muito menos em zagaias (sou especialista em Anestesia! LOL), não me revejo na política de certas revistas que levam a vida (entenda-se, ganham dinheiro) à custa da "carolice" dos pescadores lúdicos. Além do mais, a minha vida é bem preenchida de trabalho e os poucos tempos livres visam descansar física e mentalmente. A minha resposta ao meu amigo foi prontamente negativa, apesar de ser uma pessoa por quem tenho grande consideração.
    Não tenho nada contra quem escreve seja para que revista for, com ou sem contrapartidas, mas penso que deve fazer os possíveis para ser rigoroso no conteúdo e, sobretudo, nas fontes, mencionando-as. No artigo em causa, estou à vontade para me demarcar das opiniões aqui expostas, pois não o li. Há muito que saí de fóruns (nalguns fui banido a pedido por não me rever na política de censura selectiva de determinados conteúdos) e que deixei de comprar revistas de pesca e muito honestamente, só me arrependo de ter pecado por tardio. Não tenho dúvidas de que se aprende bastante, mas o que se tem de suportar, pelo menos para mim não é compensador. O que não me deixa dúvidas é que um artigo do tipo "meta-análise", que objetiva analisar e combinar os resultados de estudos primários é muito diferente de um artigo de cunho pessoal, com opiniões pessoais resultantes da experiência do próprio autor. Neste caso concreto, parece-me que estamos perante a segunda situação e, como tal, o conteúdo do artigo, concorde-se ou não, deve ser vinculado exclusivamente a quem o escreveu; daí que entenda a tua indignação por te sentires vinculado a algo em que não te revês de alguma forma.
    Quanto ao João Pinto, que escreveu um artigo com opiniões próprias, poderia (e deveria)de facto ter contactado as suas fontes (de conteúdo escrito e de imagem) antes da publicação do artigo. Estou certo que ninguém o terá feito de má fé e estas "confusões" e "chatices" não beneficiam ninguém, muito pelo contrário. O único real beneficiado nesta história parece-me ser a tal revista, que sem grande custo se encheu de mais umas páginas, e nem ao trabalho se deu de as dar a conhecer áqueles que deram o seu contributo antes da publicação.

    Pesquem, divirtam-se e não se chateiem, que a vida são dois dias e está para os espertos! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas José Pedro,

      Parece-me teres compreendido bem a minha mensagem, mas tal como dizes, a vida são dois dias, um já passou e ainda temos que ir à pesca lol

      Um abraço.

      Eliminar
  4. ora. aqui está uma grande "salganhada" das quais me sinto obrigado a a dar o meu comentário.

    neste momento falo, e troco mensagens com o Armando, José Pedro Cruz e com o João Pinto, creio que me dou bem com os três e fico algo triste em ver estas novelas.

    A Revista contactou-me para eventualmente saber se estaria interessado em escrever um artigo sobre zagaias, a minha resposta a revista foi clara, não o faço porque simplesmente pesco com zagaias muito esporadicamente pelo que não fazia sentido nenhum escrever o artigo, em resposta perguntaram-me se eventualmente conhecia alguém que estaria interessado em o escrever, prontifiquei-me a ajudar a revista e contactei umas 4 pessoas que sei que pescam com zagaias. o João pinto prontificou-se a escrever o artigo.

    ofereci-me para ajudar o João nas fotografias, e desloquei-me uns 100km para marcar com ele e tirar umas fotos, fiz isso pela revista e pelo autor do artigo, porque fui eu que fiz o convite para escrever o artigo, fazia isso pelo João como com qualquer um dos outros contactados por mim, e até fazia isso por qualquer amigo que me pedisse.

    as fotos tiradas por mim foram aquelas em que o João aparece a pescar, a minha preocupação prende-se com as fotos e enquadramentos e não com o material em si, claro que se alguma coisa me tivesse saltado logo a vista era uma coisa, mas não notei nada de especial.

    quanto o artigo em si, o João pediu-me uma opinião, e eu nessas coisas faço como se fosse um professor de uma escola, sem alterar conteúdos, nem raciocínios, nem fugir ao que o autor quer dizer dei a minha opinião, estruturalmente pareceu-me bem, tinha uma introdução, estava em "módulos" e dividido por itens de forma a não ser massudo, sem entrar pontualmente em conteúdos pareceu-me bem, até porque como disse eu não pesco com zagaias.

    honestamente e depois de ler os comentários e depois de voltar a ler o artigo com vista em analisar os ditos erros, até que concordo com algumas correcções, mas não com todas, mas também não quero andar a debater isso.

    (continua)

    ResponderEliminar
  5. (continuação)
    agora no meio de tudo há uma coisa que gostava de dizer,já tivemos em portugal 2 revistas de pesca neste momento só temos 1, quem as desfolhar repara que a maioria dos artigos são escritos por pescadores português, muitas das fotos também são tiradas pelos autores, em caso de falta de artigos e de falta de fotos a revista por vezes tem de decorrer a autores estrangeiros, e sempre que isso acontece há sempre alguém que reclama que é uma vergonha uma revista portuguesa com capas de pessoas de fora, o que é certo é que ninguém quer ajudar a revista, "ninguém" quer fornecer fotos "ninguém" quer escrever artigos, mas todos querem que seja feita por portugueses, a questão é sempre a mesma todos querem ficar ricos ou eventualmente ganhar uns cobres em troca de ajudar a única revista que temos, e quem o faz com ou sem erros, ou mesmo com gafes, aos olhos de quem está de fora é porque é exibicionista ou pensam que a revista lhe está a pagar.... esta é a mentalidade da maioria.

    considero isso muito grave principalmente partindo do pequeno nicho de pescadores que somos.

    se há quem faça artigos melhores porque é que eles não aparecem, se há quem gostava de ver outros assuntos debatidos porque que não os sugerem.... é mais bonito andar em grupos fechados a comentar os erros dos outros, e quem escreve artigos bons em blogs preferem que estes fiquem lá fechados.

    sei que possivelmente podem vir alguns comentários das politicas "ou falta delas" relacionadas com a revista, mas continuo a dizer que é a única revista portuguesa que temos e não gostava nada de passar a ler artigos em espanhol ou italiano.

    não tenho duvidas nenhuma que existem muitos bons e experientes pescadores português que tem muito jeito para a escrita, mas a maioria deles preferem apontar o dedo a dizer que está tudo mal e que ninguém sabe escrever... isso é a parta fácil e a parte que todos sabem fazer bem.

    não quero acabar sem deixar claro que até concordo que o armando esteja chateado com o facto de aparecer uma foto dele num artigo que ele não se enquadra nem se identifica. mas isso é uma questão que ele terá que repensar sempre que a revista lhe pedir uma foto.

    da minha parte não me arrependo em ajudar a revista ou mesmo alguém que me peça, vou continuar a fazer o mesmo, mesmo sabendo que mesmo assim, vai existir sempre pessoas que me vão dizer que não me devia meter.

    1 abraço

    ResponderEliminar
  6. O meu comentário não se prende com a defesa do João Pinto, nem da revista, nem dos restantes intervenientes dos comentários, nem sequer em minha defesa. deixei simplesmente um comentário porque considero-me também envolto (indirectamente apesar de ter no artigo a dizer que as fotos são minhas)neste pequeno desentendimento, que acredito que se resolvia com mais pescarias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Zé,

      Eu compreendo perfeitamente o teu comentário, acima de tudo parece-me importante salientar que tal como referi o erro foi meu em permitir uma publicação pensado ser uma coisa quando a final era outra, sem ter exigido um draft antecipado e decidir se poderia ceder ou não a foto.

      A minha demarcação do artigo nada tem a ver com a revista ou com quem escreveu o artigo mas com um erro de analise com o qual não quero estar envolvido, nada recebi pela publicação da foto e nada aceitaria receber, apenas esperava que tivesse saído num artigo mais generalista, uma meta-analise como diz o José Pedro, e não num artigo de opinião que pode esclarecer erradamente quem pretende entrar neste tipo de pesca, para isso não falta informação à toa por essa net fora.

      Eu também acho que devem existir publicações nacionais, com artigos escritos por especialistas nacionais, acho que faz falta boa literatura e bons artigos e acho que em termos editoriais por muito profissionais que sejam terão sempre grande dificuldade em gerir e recrear conteúdos todos os meses, mas como referes e bem é um dos poucos meios que alguns pescadores têm com informação relacionada com a pesca, por isso mesmo o rigor e controlo da escolha da informação publicada é importante.

      Um grande abraço,

      Eliminar
  7. Olá Amigo Zé Kaywox "Corvineiro"! :)
    EU admiro a tua boa vontade, mas demarco-me claramente dela.

    "Não tenho nada contra quem escreve seja para que revista for, com ou sem contrapartidas, mas penso que deve fazer os possíveis para ser rigoroso no conteúdo e, sobretudo, nas fontes, mencionando-as. No artigo em causa, estou à vontade para me demarcar das opiniões aqui expostas, pois não o li."

    Admitindo que devemos ter uma revista Portuguesa de Pesca (o que para mim é questionável), quem a produz é responsável pelo seu conteúdo, seja ele de autoria própria (dá sempre mais trabalho, mas é disso que se trata pois quem produz uma revista terá certamente um fim lucrativo) ou fornecido por "carolice". De uma ou outra forma, terá de haver responsabilidade na altura de atribuir os créditos a quem de direito. Foi só esse o meu reparo.
    Já agora, e aproveitando a vossa boa vontade em ajudar, deixo-vos até uam dica - todos os Hospitais públicos têm serviço de voluntariado, que bem falta faz. Garanto-vos que deve ser bem mais recompensador (e não falo materialmente) doq ue ajudar quem ganha diheiro com revistas e nem ao trabalho se dá de, para além de tentar criar novos conteúdos, pelo menos traduzir bem artigos estrangeiros de qualidade ou, no extremo, corrigir (se necessário for) e atribuir correctamente os créditos a quem ofereceu trabalho.

    Sem dúvidas que a vida está para os espertos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande JPC ;)
      para mim, assim como para muitos a revista de pesca que temos não tem grande importância, mas para muitos outros é um dos poucos meios que alguns pescadores conseguem algum tipo de informação relacionada com a pesca.

      creio que é mesmo a única imprensa que temos ligada a pesca feita em portugal ;)

      Eliminar
  8. Eu resolvi já á bastante tempo esse problema deixei de comprar
    a revista em questaõ.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo, não seria pior assinar as mensagens, agradeço para a próxima, quanto a deixar de comprar a revista é uma opinião, cada um sabe do que precisa.

      Eu continuo a ler, estou sempre a aprender e não tenho qualquer problema de ler o que quer que seja para me manter actualizado, no caso do Mundo da Pesca muito aprendi ao longo dos anos, principalmente quando a Internet ainda era lenta e os conteúdos muito pobres, mas isso mudou radicalmente e reconheço que na net temos grandes ajudas hoje em dia, mas também temos muita porcaria enganadora encoberta.

      Um abraço.

      Eliminar
  9. Bem eu acho é que como o pessoal anda a seco com as grades atras de grades tem que libertar as energias em qualquer lado
    Nunca mais me esqueço de um amigo meu que quando começou a pescar nunca vinha a seco trazia sempre qualquer coisa e eu perguntavalhe em que mares e em que lua e ele não sabia pk simplesmente chegava lá atirava o isco para o meio do mar e lá saia kk koisa e eu a ver mares luas condições chegava lá e neribi
    Sao métodos diferentes msm que para o olho treinado seja ridículo o que interessa msm é que saia peixe dos bons o resto que Sá lixe
    Ass marco Pereira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Marco,

      Não se trata de descarregar energias de muitas grades, até porque não é a falta de peixe e as grades que me aborrecem na pesca, são uma parte do jogo, trata-se de repor a verdade numa situação que nunca devia ter acontecido.

      No caso da pesca embora a sorte possa ajudar, o conhecimento e a experiência são fundamentais para se conseguir resultados consistentes e ai os métodos mais experimentados e comprovados pelas capturas de inúmeros pescadores são os resultados a observar e avaliar.

      No caso das zagaias existem muitos mitos, muitas verdades e muitas semelhanças de zona para zona, mas não foi esse o problema.

      Um abraço.

      Eliminar
  10. Boas Armando..:-) Parabéns pela captura amigo e desejo-te um Verão em grande..:-)

    Um grande abraço

    Luís Malabar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas Luis,

      Essa captura já tem meses, as recentes vêm já a seguir, a partir de amanhã chegam os relatos!

      Um grande abraço,

      Eliminar